Liberação de agrotóxico sem registro no país

Avaliação do Usuário
Atribua uma nota de 1 a 5:

http://estadao.br.msn.com/ciencia/governo-libera-agrot%c3%b3xico-sem-registro-no-pa%c3%ads","forumId":"a69ccf1d-115a-4e4e-996d-e756046c585e","boardId":"01beecdf-cb59-4626-a1c5-bd8623f72cc9","threadId":"5ae6cea9-2989-4ffc-8a5b-bee3c2657781","contentId":"ecepmi54ne6brcqidus87qqui7mvr6yn","s-url":"http://on-msn.com/12H7w6E","title":"Governo libera agrotóxico sem registro no País","extension":{},"miniTbPositionRef":"#pvtbtop","cid_keys":"","siteParams":{"twittervia":"portalMSN"}}">O Ministério da Agricultura liberou o uso de um agrotóxico não registrado no País para combater emergencialmente uma praga nas lavouras de algodão e soja, conforme publicação na semana passada no Diário Oficial. A decisão permite o uso de defensivos agrícolas que tenham em sua composição o benzoato de emamectina, substância que, por ser considerada tóxica para o sistema neurológico, teve seu registro negado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 2007.

A praga da lagarta quarentenária A-1 Helicoverpa armigera em lavouras do oeste da Bahia propiciou a necessidade de uma reunião extraordinária do Comitê Técnico de Assessoramento para Agrotóxicos (CTA), formado por membros dos Ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente e da Anvisa. Nesta ocasião se discutiu a liberação do benzoato sendo proposto o seu uso até a safra 2014/2015. O CTA é o responsável pela emissão de parecer quanto à avaliação dos riscos do uso de defensivo para o meio ambiente e a saúde pública, e tanto o Ministério do Meio Ambiente como a ANVISA se posicionaram contra a liberação.

Segundo o relatório técnico do produto comercial Affirm da Syngenta, o agrotóxico em questão possui dois modos fisiológicos de ação. Por um lado une-se irreversivelmente aos receptores GABA na sinapse inibitória e, por outro lado, une-se aos receptores H de glutamato na superfície do músculo, manifestando-se visualmente através da paralisia dos insetos. A emamectina atua por ingestão e após a aplicação nas folhas, as moléculas são rapidamente absorvidas pelo tecido vegetal. O relatório indica a alta toxicidade do produto para as abelhas e outro insetos polinizadores não sendo recomendada a aplicação do produto quando a vegetação estiver em floração.

A Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB) autorizou na terça feira dia 9 de abril o uso do produto importado que tenha como ingrediente ativo único a substância benzoato de emamectina. A ADAB tem desenvolvido ações técnicas importantes de levantamento e estudo danova praga no Brasil. Segundo os técnicos, estas ações têm como objetivo evitar danos ambientais relacionados com o desenvolvimento de resistência da Helicoverpa armigera ao agrotóxico, quando este  é utilizado inadequadamente, e com a supressão de populações de organismos benéficos, como os agentes polinizadores  e inimigos naturais.

 

REFERÊNCIAS, NOTAS OU LINKS

Saiba mais sobre as pesquisas:

 

http://www.syngenta.com/country/pt/pt/produtos/Insecticidas/Documents/Affirm/Affirm_boletim_tecnico.pdf

 
http://www.cnpa.embrapa.br/produtos/algodao/publicacoes/cba6/trabalhos/Entomologia/Trabalho%20E32.pdf

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Com a palavra: nossos clientes!