Soluções para os Riscos Químico, Toxicológico e Ambiental

Catálogo de Produtos | Port. | Esp. |

Portuguese English Spanish
Print Friendly, PDF & Email

O presente artigo fundamenta-se no Estudo de Caso "Educating young people about working safely with chemicals", publicado pela Agência Europeia para Segurança e Saúde no Trabalho (EU OSHA). A Lehmann & Voss & Co é uma empresa química fundada em 1894, em Hamburgo, na Alemanha. Uma organização diversificada, combina três modelos de negócios na Europa, Ásia e Estados Unidos: comércio, distribuição e produção. Concentrada na produção de produtos para as indústrias de plásticos e borracha, a empresa contava, em 2016, com 569 empregados no total, 364 deles em Hamburgo.

 

 

Há muitos anos, a empresa adota as diretrizes globais do Programa Atuação Responsável, seguidas por todos os trabalhadores, como componente-chave de sua Política de Segurança e Meio Ambiente. Em setembro de 2013, seu sistema de gerenciamento de Segurança no Trabalho foi avaliado como exemplar pela autoridade competente, o Escritório de Segurança do Trabalho de Hamburgo.

Fornecer aos trabalhadores conhecimento e treinamento, em todos os aspectos de Segurança e Saúde no Trabalho (SST), é importante para a empresa garantir a sua proteção. A educação de jovens na produção segura de plásticos e no manuseio seguro de produtos químicos é uma área prioritária da Lehmann & Voss & Co. Os jovens trabalhadores da indústria de transformação de plásticos podem estar expostos a várias substâncias perigosas, incluindo alérgenos e irritantes.

Desse modo, é importante integrar questões de SST na sua formação, o mais cedo possível. Resultados negativos resultantes de um ambiente de trabalho precário são conhecidos por serem mais freqüentes entre os jovens trabalhadores, e o trabalho envolvendo risco os afeta mais. De acordo com alguns estudos, os trabalhadores com menos de 25 anos de idade estão mais expostos a substâncias cancerígenas do que os demais (EU-OSHA, 2007).1

Em 2009, a empresa começou a cooperar com duas escolas para treinar jovens no manuseio seguro de produtos químicos e melhor introduzi-los na vida profissional. Wolfgang Reithmeier, professor de Química na escola distrital de Eidelstedt, em Hamburgo, procurava uma oportunidade de cooperação com a indústria química. Para as escolas, as experiências de SST da indústria são relevantes para aulas de Química e o treinamento profissional de alunos.

O professor teve como ponto de partida três perguntas principais: 1- Como os alunos podem ter uma visão da realidade das profissões técnicas e científicas? 2- O que é importante para os empregadores, além das informações escolares? e 3- Por que a SST é uma questão tão importante na indústria química?

Os objetivos da escola eram: 1- Introduzir os jovens no mundo do trabalho; 2- Aumentar a conscientização sobre SST; 3- Aumentar a competência dos jovens estudantes em SST; e 4- Garantir um trabalho seguro e saudável no laboratório da escola.

Os objetivos da empresa eram: 1- Oferecer locais de trabalho sustentáveis ​​e saudáveis ​​para os jovens trabalhadores; 2- Fortalecer a Cultura de SST na empresa; 3- Apresentar-se. como uma empresa atraente, competente e segura; 4- Promover a SST entre os jovens; e 5- Atrair futuros candidatos para formação, estágios, teses e emprego.

A cooperação com a escola iniciou-se com o contato do professor Reithmeier com a empresa, no contexto do seu módulo de ensino "Nada funciona sem plásticos" ("Ohne Kunststoffe geht es nicht"). Juntamente como o Dr. Heiko Thoms, da Lehmann & Voss & Co, foi desenvolvido um esquema para a formação em SST, na escola e na empresa, para alunos dos 14 aos 17 anos, baseado em uma apresentação sobre a fabricação de produtos químicos e a aplicação de um questionário sobre SST.

Tempo adequado é dedicado à SST durante as aulas de Química. Os alunos aprendem as regras básicas de segurança e saúde em laboratórios e obtêm uma licença para usar equipamentos, como um bico de Bunsen, por exemplo. Em seguida, eles estudam as propriedades físicas e químicas das substâncias, bem como os rótulos e pictogramas de perigo do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos (GHS). Isso é feito com o apoio de um vídeo com o personagem Napo e a transmissão de conhecimento sobre questões relevantes de SST nos ambientes de trabalho da indústria química, pelo representante da empresa.

Além disso, os alunos recebem treinamento prático na empresa no 8º ano e no 10º ano, quando estão com cerca de 14 e 16 anos, tendo a SST como uma questão-chave. O treinamento começa com informações teóricas e práticas sobre os diferentes tipos de plásticos, suas propriedades e a versatilidade dos materiais. A seguir, os alunos fazem apresentações previamente preparadas na escola, por exemplo, sobre a cadeia de processo na produção de plásticos, o papel dos retardadores de chama nos plásticos ou aspectos de segurança no processamento de plásticos.

Os alunos discutem questões de SST em pequenos grupos e recebem treinamento especial no gerenciamento de produtos químicos e sobre o maquinário. Para aumentar a conscientização sobre segurança, os alunos devem lidar com instruções de segurança e medidas de prevenção e integrá-los em seus protocolos. Segundo o professor Reithmeier "Pode-se dizer que a SST está se tornando um ritual nas lições experimentais".

Após o treinamento, os alunos visitam as instalações de produção da empresa em pequenos grupos (de três a seis) e, desde 2017, tiveram a oportunidade de fabricar materiais plásticos (como lâminas) em uma planta piloto. Os alunos aprendem, por meio de experiência prática, detalhes sobre a produção e manipulação de produtos químicos e considerações de segurança ao manusear produtos químicos. Todos os alunos devem usar equipamentos de proteção individual, e são supervisionados e instruídos sobre medidas técnicas e organizacionais de prevenção, durante toda a visita.

Em relação aos objetivos alcançados, do ponto de vista da escola, o projeto tem sido um grande sucesso: “A cooperação com a Lehmann & Voss & Co é uma vitória absoluta para nós”, afirma Reithmeier. "É uma oportunidade única para os alunos aprenderem sobre a Química dos plásticos, não apenas teoricamente, mas também na prática. Eles conhecem um local de trabalho real e lá aprendem a importância da SST. É sempre muito divertido para todos e é voltado para a carreira”.

O projeto aumentou a conscientização dos alunos em relação à SST, mas também aumentou a conscientização dos professores, e eles ensinam agora esse tópico com mais entusiasmo. Os alunos levam sua segurança e saúde muito mais a sério e aqueles que se preocupam com a segurança e a saúde de seus colegas sentem-se importantes e orgulhosos.

Para a Lehmann & Voss também foi um grande sucesso. O treinamento prático aumenta o interesse dos alunos pela indústria química. Os alunos adquirem uma experiência de trabalho real e ficam bem informados sobre SST quando se candidatam a empregos. A empresa enfatiza que o início do treinamento em SST melhorou a sua cultura de SST. O projeto foi inscrito em várias competições e ganhou vários prêmios na Alemanha, inclusive no Prêmio Atuação Responsável 2014, concedido pela VCI (Associação Alemã da Indústria Química).

No início, o planejamento do projeto consumiu muito tempo da empresa e da escola, e não havia a certeza de que o esforço resultaria em uma cooperação bem sucedida. Após a primeira rodada do projeto em 2010, ficou claro o grande sucesso para os parceiros de cooperação e, especialmente, para os alunos. Desde então, os tópicos e conteúdos cobertos pelo projeto foram desenvolvidos por ambos os lados.

Entre os fatores do sucesso devem ser ressaltados a estreita cooperação entre a empresa e a escola e o compromisso dos respectivos especialistas. Merece destaque, também, a combinação do treinamento teórico com a experiência prática no local de trabalho, integrando a abordagem de questões de SST em locais de trabalho reais, levando a uma compreensão melhor e mais sustentável. Além disso, foi essencial o compromisso de todos os atores envolvidos na fase de implementação do treinamento: representantes dos trabalhadores, gerentes, chefes de divisão e conselhos de trabalho. O feedback de todos os usuários foi obtido por meio  de questionários e discussões em grupo durante a implementação do projeto.

O projeto é considerado transferível para outras escolas e indústrias, em outros países. Para mais informações: 1- Contato na Lehmann & Voss: Dr Heiko Thoms, Chefe de Assuntos de Meio Ambiente, Segurança e Regulamentação; email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; 2- Contacto na escola distrital Stadtteilschule Eidelstedt: Wolfgang Reithmeier, professor de Química; email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Referências:

1- EU-OSHA (Agência Europeia para a Segurança e Saúde), 2007, Young workers - Facts and figures, ed. E. Schneider. Disponível em: https://osha.europa.eu/en/publications/reports/7606507

2- Wikipedia, 2017, ‘Aprendizagem adaptativa’, página editada em 24 de maio de 2017. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Adaptive_learning

Print Friendly, PDF & Email

Pesquisar

 

ghs